quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

De tudo um pouco!

As vezes paro e penso no que as pessoas fazem com suas vidas, nas suas escolhas e decisões. A vida é um eterno efeito borboleta. Cada micro decisão a modifica. Cada escolha, um caminho. E lembro de minhas escolhas. Cada uma, um grande aprendizado. Tudo vem na hora certa e tudo tem seu tempo. Cada pessoa que cruzou meu caminho, trouxe algo pra mim. Nada entra nem sai de nossas vidas sem que haja uma mudança dentro da gente. É Deus agindo. Sua Magnitude faz com que tudo seja sincronizado e os seres deste planeta estejam interligados pelos seus inconscientes (leia-se corações). 

Creio num mundo muito maior do que seus olhos podem ver. Creio, simplesmente creio. Acordar para percebê-lo só depende de você e da sua vontade. Quem preferir continuar vendo o mundo com olhos acomodados, que assim o faça, mas que não reclame caso não entenda minhas escolhas. Que não reclame da minha vida ter mais brilho, do meu sorriso terno e do meu olhar sincero (seja para quem for).

Somos feitos do mesmo material. Carne e espírito. Matéria e amor. “Vós dois deuses”, já dizia nosso Mestre Jesus de Nazaré. “Podeis fazer tudo o que eu faço e muito mais”, completou. Portanto, somos todos irmãos. E que sejamos irmãos de luz, não de ódio ou de rancor. Na minha vida isso jamais terá espaço. Não tenho tempo pra isso. Meu ser perfectível, meu ser criado à imagem e semelhança de Deus Pai, não pode ser contaminado deste material sujo que é o rancor. 

Infelizmente a maioria das pessoas, embaladas pela cultura da sociedade onde vivem (falo como um todo), estão constantemente pré-julgando a tudo e a todos. Enxergam os atos de cada ser como o próprio ser. E julgam estes atos como bons ou ruins de acordo com as crenças que possuem. Crenças estas formadas desde o momento que se encontra no útero de sua mãe. Pois digo, não existe fato bom ou ruim. Simplesmente fatos são fatos. O que pode ser bom para você, pode ser ruim para mim e vice-versa, pois o valor ao acontecimento é subjetivo e o fato é algo objetivo.

Digo isso pois vejo diariamente pré-julgamentos referente aos atos cometidos por outras pessoas. Todos te julgam e te condenam sem piedade. Não interessa se você está feliz, não interessa se a vida é sua e se você sabe o caminho. O que interessa aos juízes é que você está fazendo algo que não coaduna com as crenças deles. Mas isto é da sociedade. Você nasce e já percebe que as coisas são assim e se põe a emitir julgamentos doa a quem doer. E se o julgado não adequar seu comportamento às crenças do juiz, estará fadado a punições psicológicas eternas. Será tachado com adjetivos incomensuráveis. 

Eu tenho o hábito de colocar em prática as coisas que aprendo. E aprendo diariamente, graças ao meu bom Pai Divino que me dá essa oportunidade diariamente a fim de que eu evolua. Frequento um centro espírita chamado Casa do Jardim, de onde posso dizer que tirei muita coisa do que uso hoje em minha vida. Onde aprendi muita coisa sobre vida, sobre amor, sobre respeito, sobre paciência...Onde aprendi que a intolerabilidade, o desamor, a falta de compaixão, o egoísmo... não levam ninguém a lugar algum, ou melhor, nos leva à dor e sofrimento. Onde entendi motivos de certas angústias, onde entendi que pré-ocupações só nos causam úlceras...onde aprendi que todos somos irmãos, onde aprendi que a prática da caridade nos leva à salvação e que com Cristo, minha vida é de luz. Para viver em Cristo, tenho que viver em paz, não carregar rancores, ódio, não levar comigo a dor de não saber perdoar. Perdoar é ato divino, ou seja, quem somos nós para julgar alguém, quem somos nós para deixar de perdoar alguém se nosso próprio Pai já nos perdoou? Quem somos nós para dizer que alguém é isso ou aquilo se Deus nos colocou aqui neste mundo lado a lado para que convivamos como irmãos, para que aprendamos com erros e acetos, para que tomemos diariamente a santa água da paciência?

Apesar de sermos seres únicos na criação divina, somos seres interligados, somos todos um só. A partir disso devemos ter a consciência de que tudo ao nosso redor é sincronizado. Atos refletirão uma hora ou outra. A mão que eu me nego a estender hoje, amanhã pode precisar de alguém. Um prato de comida que eu negue hoje, amanhã pode me ser negado. A mesma força que eu uso para julgar e condenar hoje, amanhã será usada contra mim. Portanto, veja as pessoas a sua volta. O que elas trazem para sua vida? Por trás de toda ação, uma reação. Que sua reação seja sempre de amor. Por trás de toda ação, existe uma boa intenção. 

Se você gosta de livros que falam de amor, de perdão, como por exemplo o livro “A Cabana”, comece a utilizar aquelas palavras em sua vida, comece a praticar o amor, o perdão, o desapego, ao invés de somente pregar coisas bonitas. Efetive isto em sua vida. Agora! Não, nunca é tarde...mas quanto antes você por em prática a caridade na acepção mais completa da palavra, mais você será feliz, mais você sentira o amor fluir em sua vida por todos os lados, mais você vai sentir a leveza do seu próprio ser.

De vez em quando paro e reflito sobre determinados momentos em minha vida e vejo quão produtivos e o quanto me serviram. Mesmo que para algumas pessoas o acontecimento tenha parecido trágico, prefiro ver com olhos positivistas, pois de nada me serve enxergar o negativismo. Somente cresço na luz! Nada do que traz trevas ao nosso coração vale a pena ser lembrado. Já fui uma pessoa com muita mágoa, com muita raiva. Já fui a favor de pena de morte e aborto. Com meu aprendizado, com a abertura de meu coração e a efetiva prática da espiritualidade em minha vida, hoje me vejo outra pessoa. Por exemplo, as vezes me vejo na pele do professor e ativista dos direitos humanos que entra sem colete no bangu no Tropa II e as vezes na pele no Ten. Cel. Nascimento. Incongruente? Não! As pessoas que têm convivido mais comigo hoje em dia conseguem enxergar essa mudança de paradigma e entendem o porquê. O papel do ativista mostra que ele enxerga a essência daquele ser, sua origem divina. Já, o Ten. Cel. Nascimento mostra que para defender o que é certo diante do ponto de vista da lei, o serviço será feito. O crime não pode vencer. EU sou pela paz! Quem me dera nunca precisar enfrentar uma guerra como esta do Complexo do Alemão. Mas se tiver que enfrentar durante minha carreira policial, lá estarei. São duas faces, duas formas de combater o crime. Hoje vejo que as duas faces podem se unir. Tento implantar projetos no Presídio Central de Porto Alegre para trabalhar junto aos presos num programa de reabilitação, eis que confio no poder do amor para trazer o ser-humano de volta a sua essência. Ao mesmo tempo que estou entrando para a Polícia Civil do RS. Contrassenso? Talvez...depende do seu ponto de vista e das crenças que você alimenta em sua vida. E isso é no que EU acredito. E pelas coisas que eu acredito, eu luto até o fim! 

Pois bem, isto tudo é um pouco do que se passa aqui dentro. Só me resta dizer que, para mim, amor de verdade é compreensão e não vitimização.

2 comentários:

Curiosa disse...

querida, acho que o ser humano precisa de muitas vidas para parar de errar ...
bela reflexões vc tem aqui ...
bj

Amanda disse...

É sim, amada! Muitas e muitas encarnações! E sempre no caminho da evolução! E que a cada dia possamos dar um passo, um micro passo que seja, no caminho da luz!
Paz e luz pra vc!
Obrigada pela visita!
Amanda Fontoura